segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

A centralidade do feminismo

Para a esquerda que reduz a importância - centralidade - do feminismo na luta de classes


"A pauta principal das mulheres é renda" disse o companheiro.
Mas companheiro, meu problema não foi renda quando me olharam de cima a baixo no meio de rua achando que meu corpo é coisa pra se criticar.
Meu problema não foi renda quando meu marido me bateu dentro de casa porque falei mais alto que o “permitido”.
Meu problema não foi só renda quando fui estuprada porque namoro mulheres e, pelo que me falaram, só faço isso porque não conheci o homem certo, ainda.
Meu problema foi renda sim, quando engravidei sem condições de sustentar uma criança, e morri por que não sabia usar o remédio abortivo.
Mas meu problema não foi renda quando, em outra situação, mantive minha gravidez porque minha família me disse que aborto é matar e que ser mãe é o principal papel da mulher.
Meu problema não só é renda, companheiro. Meu problema é ser mulher; mulher que ousa gritar que é gente.
Meu problema é ter classe, cor e gênero.
Eu não quero só salário, eu quero é ser gente. Eu quero é deixar de ser partes e ser mulher, mulheres. Mulheres do povo, companheiro. Mulheres diversas que trago comigo e que um quantitativo de renda não consegue descrever, nem resumir.

E você me pergunta, “qual a pauta, então?”
Minha pauta é Revolução.
Liss Numa