terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Ganhamos o Prêmio de Direitos Humanos Estadual (RN)


Momento importante para a nossa organização!!!!
Vale salientar que ainda fomos reprimidos no ato do prêmio, esconderam nosso megafone,não deixaram que entrássemos portando bolsa sem que antes fosse revistada,nem com nossas bandeiras. O mais legal é que na hora do nosso discurso,escrachamos o que estava acontecendo e o presidente da mesa pediu que todos entrassem com o que quisesse no plenário.


Mensagem de Aton Fon Filho

É claro que eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude.
E, o que é pior, não me envergonho de dizê-lo.

Antes, me orgulho.
Orgulho-me de dizer que nesta terra existem homens e mulheres que, como o povo de Canudos e os Cabanos; como Felipe Camarão e Vidal de Negreiros; como a Coluna Prestes e os Expedicionários da FEB, resgatam a bandeira da liberdade.
E, com isso, eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude.
Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude, porque a Memória, a Verdade e a Justiça são ainda somente uma aspiração, uma aspiração que em seus cantos, suas marchas, seus escrachos encontram o veio da concretização.
Por isso, companheiros e companheiras, eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude.
Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude porque na periferia de nossas cidades, nossa juventude pobre e negra está sendo assassinada pelas forças policiais e os tambores e as latas, as camisetas e as batas do Levante Popular da Juventude gritam alto que estamos em jornada de organização de nosso povo para resistir.
Como não ser suspeito para falar do Levante Popular da Juventude?
Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude, porque houve um Emmanuel Bezerra dos Santos e um Luiz Maranhão, uma Soledad Barrett e uma Jana Moroni que vieram antes, mas que renascem nas vozes e gestos, carícias e afetos de homens-meninos, meninas mulheres que não se cansam de ser patriotas e querer a liberdade.
Suspeito, para falar do Levante Popular da Juventude, trago de longe minha palavra a essa festa.
Uma festa de gente suspeita. Gente que não se envergonha de falar em Direitos Humanos e defender a igualdade.
Gente que festeja em dezembro a possibilidade de caminhar juntos para fazer real a esperança de um mundo melhor.
Gente que, no mínimo, enche o peito de orgulho para cantar os versos do hino: “Mas, se ergues da Justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge a luta”.
Hummm. Gente que, no mínimo, também seria suspeita para falar do Levante Popular da Juventude.
Essa gente! Esse Levante Popular da Juventude! Esses Brasileiros!
Meus irmãos!
Pátria Livre! Venceremos!


''O levante popular da juventude se sente orgulhoso de  estar recebendo hoje esse prêmio, mas estamos mais orgulhosos em saber que a busca pela verdade do que ocorreu nos anos de ditadura, não acabou.
O levante tem em mente a ideia de que a ditadura nos deixou uma herança da qual não nos orgulhamos,principalmente uma polícia militarizada, o extermínio da juventude negra e pobre das periferias a criminalização dos movimentos sociais e o fato de se construir mais cadeias que escolas.
Esperamos que esse prêmio seja um incentivo à busca pela verdade, que os verdadeiros heróis do Brasil sejam reconhecidos e que a história sombria dos anos de ditadura não se repita...''

"Mas ninguém se rendeu ao sono.
Todos sabem (e isso nos deixa vivos):
a noite que abriga os carrascos,
abriga também os rebelados.
Em algum lugar,não sei onde,
numa casa de subúrbios,
no porão de alguma fábrica
(neste exato momento na câmara municipal)*
se traçam planos de revolta".

Pedro Tierra

* verso adicionado por João Paulo no momento da leitura da poesia.

É PRECISO NÃO TER MEDO,É PRECISO TER A CORAGEM DE DIZER...