quinta-feira, 1 de março de 2012

Oficina Teatro do Oprimido para o 8 de março

Nesta terça-feira,28 de fevereiro, aconteceu no DCE da UFRN,a primeira oficina de Teatro do Oprimido para construção do 8 de março em Natal. Para compor esse momento convidamos meninos e meninas para juntos pensarmos uma linda intervenção para lembrar as lutas das mulheres.
Para entender um pouco sobre essa técnica:

Teatro do Oprimido


''Depois de exilado pelo regime militar, Boal se dedicou a pesquisar formas teatrais que pudessem ser úteis para oprimidos e oprimidas, criando condições para ultrapassarem o papel de consumidores de bens culturais e assumirem a condição de produtores de cultura e de conhecimento. Para tanto, sistematizou o Teatro do Oprimido, que poderia ser chamado de Teatro do Diálogo que, partindo da encenação de uma situação real, estimula a troca de experiências entre atores e espectadores, através da intervenção direta na ação teatral, visando à análise e a compreensão da estrutura representada e a busca de meios concretos para ações efetivas que levem à transformação daquela realidade.
Um Método teatral que se baseia no princípio de que o ato de transformar é transformador. Como diria Boal, aquele que transforma as palavras em versos transforma-se em poeta; aquele que transforma o barro em estátua transforma-se em escultor; ao transformar as relações sociais e humanas apresentadas em uma cena de teatro, transforma-se em cidadão. Um Método que busca, através do Diálogo, restituir aos oprimidos o seu direito à palavra e o seu direito de ser.
Boal sempre insistiu que as técnicas que compõem o Método do Teatro do Oprimido não surgiram como invenção individual e sim como consequência de descobertas coletivas, a partir de experiências concretas que revelaram necessidades objetivas. Cada uma das técnicas do Teatro do Oprimido representa uma resposta encontrada por Boal e pelos colaboradores e colaboradoras que acumulou ao longo de sua carreira.'' [Bárbara Santos]



Fonte: Centro de Teatro do Oprimido

Então, foi baseada nessa técnica que Manu e Nátaly, estudantes de Ciências sociais e integrantes do Levante Popular da Juventude montaram as primeiras dinâmicas trabalhando o corpo, a reflexão e inibição dos/das participantes. Foram momentos de descontração e muito trabalho.



O segundo dia será nesta quinta-feira,01 de março, às 15:00 horas no DCE da UFRN. 
Ainda dá tempo de participar!