quarta-feira, 19 de setembro de 2012

EM NATAL – RN, O TRANSPORTE URBANO É UM PROBLEMA COLETIVO!



As recentes mobilizações contra o aumento da passagem nos transportes coletivos ocorridas em Natal - RN ampliaram questões que diariamente são debatidas por todos nas paradas de ônibus: A superlotação, a insuficiência da frota, atrasos nos horários, a falta de circulação de ônibus nos horários após ás 23h, a dupla função dos motoristas (cobrador e condutor do ônibus), a não existência do passe livre estudantil, e claro, o abuso do valor da tarifa se comparado a “qualidade” do serviço.
Foram duas semanas de grandes mobilizações protagonizadas pela juventude na #Revolta do Busão! Dias em que a população natalense discutiu amplamente sobre o seu direito de ir e vir com protestos que contaram em média mais de mil pessoas. A reivindicação sobre o abuso desse aumento - que superou os índices de inflação - foi propagada por toda a cidade no sentido da não aceitação desse reajuste.
Com muito vigor, mística, mobilização e rebeldia a juventude natalense conseguiu uma das maiores conquistas na história da cidade que foi a revogação do reajuste na tarifa dos ônibus! Tal feito é memorável e inspirador para outras mobilizações e movimentos ocorrerem pelo país, por este serviço que dá acesso a direitos essenciais como educação, saúde, trabalho e cultura.
Vale lembrar, que o aumento da tarifa (de R$ 2,20 para R$ 2,40) foi estabelecido devido ao desequilíbrio financeiro que as empresas no setor tem sofrido. Ou seja, os empresários do setor de transporte que dominam a concessão das linhas de ônibus na cidade entraram em crise e, quem pagaria mais essa conta seria a população que sofre com os descasos desse serviço no dia a dia. A conivência da SEMOB, secretaria municipal de mobilidade que acatou de imediato tal proposta empresarial, também chamou a atenção nesse processo e nos protestos, onde foi denunciada a passividade da secretaria e a falta de propostas para este serviço.
A novidade da última semana foi a suspensão da opção de Integração Temporal (aqui ardilosamente chamada de “Passe Livre”), onde o usuário do transporte pode utilizar a mesma passagem no período de 10 a 60min após o primeiro uso. Essa atitude, como também o anterior reajuste da tarifa, partiu do SETURN (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos do Município de Natal) em represália a revogação do aumento, no sentido de dar conta da sua crise ás custas do cidadão que agora terá que pagar R$ 4,40 se utilizar dois ônibus para chegar ao seu destino ao invés de R$ 2,20 com o recurso da Integração.
Diante disso, mais uma vez a juventude está nas ruas e convocando a população a não aceitar mais esse abuso! E levando ás ruas à reivindicação por esse serviço que atualmente não passa de uma mera mercadoria. A convocação é para que a Integração seja reestabelecida e que se há uma crise, que os empresários paguem por ela. Transporte não deve ser mercadoria! E a saída para a população é a municipalização do serviço, concedendo a licitação para uma empresa pública administrar os transportes em Natal.
 Há cerca de 30 anos existe a concessão dos serviços de transporte urbanos no município de Natal, neste período pouco foi discutido sobre uma real Política de Mobilidade Urbana para a cidade. As questões que são colocadas são sempre da parte dos empresários que dominam este serviço (não só na cidade, mas em outros estados), e só existem quando se fala em aumento da tarifa no sentido da conveniência da relação prefeitura – empresários, e nunca da relação cidadãos/prefeitura/empresários. Esse modelo privatizante está fadado e resultando em crises que sobrecarregam e exploram o trabalhador/usuário do serviço. Isto tem que mudar!
Nunca foi debatido o lucro dos empresários, as planilhas de custos, organização do serviço e alternativas que em outras cidades são realidades como: Integração das passagens pagas nas cidades que compõe a região metropolitana; A obediência aos artigos 10 e 11 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação que versam sobre o Passe Livre estudantil ser de responsabilidade do município e do estado; Passe Livre para desempregados e portadores de doenças crônicas; Tarifa Social (todos pagam meia passagem certo dia da semana); Linhas de ônibus que percorram toda a cidade e em vários horário do dia e da noite; Ampliação dos terminais de integração, etc.
            Por um transporte público, de qualidade que garanta o acesso a serviços e a toda cidade!

Por: Aurora Mª N. Furtado
LEVANTE POPULAR DA JUVENTUDE
Natal-RN
19/09/2012








<iframe width="480" height="360" src="http://www.youtube.com/embed/OOzeeEx7ne8" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>